Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

sertao_paraibano_14
No comando: Amanhecer no Sertão

Das 05:00 as 08:00

home
No comando: Estação 96

Das 08:00 as 10:00

balada2407_w
No comando: Nossa Festa

Das 08:00 as 10:00

a08786b0d3c3992b0215e7fd3ee0fd38
No comando: Experiência de Deus

Das 10:00 as 11:00

raridade
No comando: Raridade

Das 11:00 as 12:00

JORNAL 96
No comando: Jornal96

Das 12:00 as 13:00

MPB-BANDEIRA-BRASIL
No comando: Só Brasil

Das 13:00 as 14:00

CANAL
No comando: Canal 96

Das 14:00 as 16:00

brega-c3a9-cult1
No comando: Sábado Brega

Das 16:00 as 18:00

No comando: Camarote

Das 16:00 as 18:00

No comando: frequência máxima

Das 16:00 as 19:00

orar-com-Jesus
No comando: Experiência de Deus

Das 18:00 as 19:00

voz_do_brasil_0
No comando: A Voz do Brasil

Das 19:00 as 20:00

570c426c52b9ca8a65153ca549e97372
No comando: Hits da Noite

Das 20:00 as 23:00

Temer se entrega à PF em São Paulo

Compartilhe:
TEM

O ex-presidente Michel Temer (MDB), de 78 anos, se entregou à Polícia Federal (PF) em São Paulo na tarde desta quinta-feira (9) para cumprir prisão após revogação do habeas corpus que o mantinha livre. Ele deixou sua casa, na Zona Oeste da capital, e seguiu escoltado até a Superintendência da PF.

Temer é acusado de chefiar uma organização criminosa que teria negociado R$ 1,8 bilhão em propina nas obras da usina nuclear de Angra 3, operada pela Eletronuclear. O ex-presidente foi denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Também se entregou à PF na tarde desta quinta João Baptista Lima Filho, o coronel Lima, amigo do ex-presidente e sócio da empresa Argeplan.

Temer disse que iria se apresentar “voluntariamente”, ao contrário do que ocorreu em 21 de março, quando foi abordado na rua e preso por policiais federais em um desdobramento da operação Lava Jato no Rio.

A defesa do ex-presidente pediu nesta quinta-feira (9) liberdade ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). No documento, o advogado Eduardo Carnelós afirma que não há motivos para manter Temer preso porque os fatos apurados ocorreram há muito tempo. “Não há espaço, data venia, para a manutenção do paciente no cárcere a título cautelar, passado tanto tempo entre os fatos apurados e o presente momento”, disse.

Deixe seu comentário:

Curta no Facebook